Quatro menores apreendidos em Bom Jesus nos abusos contra uma menina de 13 anos numa escola estadual

Na manhã desta segunda-feira (24) cumprindo mandados de apreensão da juíza Fabíola Costalonga, a polícia apreendeu quatro menores na cidade de Bom Jesus do Itabapoana acusados de abuso sexual contra uma menina de 13 anos na Escola Estadual Padre Mello naquele município. Os meninos que são alunos daquela escola têm entre 15 e 16 anos. Um dos acusados está foragido, ele seria o namorado da menina. Os menores serão transferidos para o Centro de Socioeducação Professora Marlene Henrique Alves onde ficarão internados pelo prazo de até 3 anos. O diretor e coordenadora da escola também deverão responder processo por não ter comunicado as autoridades os delitos cometidos contra a garota.

Promotora Olívia Motta Venâncio Rebouças requereu a apreensão dos menores

ENTENDA O CASO

A polícia suspeita de que 15 menores seriam os autores do crime cinco vezes em dois meses

No Noroeste Fluminense, a polícia na cidade de Bom Jesus do Itabapoana-RJ, investiga o caso de um estupro coletivo contra uma menina de 13 anos dentro de uma escola estadual naquele município. Segundo o delegado responsável pelo caso, Bruno Cleuder, a investigação aponta que uma adolescente de 13 anos teria sido violentada por 15 estudantes dentro do Colégio Estadual Padre Mello.

O Conselho tutelar está acompanhando o fato juntamente com o Ministério Público e o juizado da Infância. De acordo com o delegado, o crime foi praticado cinco vezes em um período de dois meses, em maio e junho deste ano.

A Itaperuna Gospel entrou em contato com a Secretaria Estadual de Educação informou que em poucas linhas que: “A direção da escola e o Conselho Tutelar estão acompanhando o caso junto à Polícia Civil, que está a cargo das investigações.”.

 
 


A polícia está analisando imagens de câmeras de segurança do prédio para confirmação do delito e identificar os autores e dos envolvidos que poderão ser detidos nos próximos dias no desenrolar das investigações.

O crime, segundo informações da Polícia Civil, chegou até a 144ª DP na segunda-feira (17). A denúncia foi encaminhada por uma conselheira tutelar que teve conhecimento do crime por meio de outra aluna da escola. A direção da instituição de ensino também está sendo investigada se tinha ou não ciência do ocorrido.

Na sede da Delegacia Legal várias pessoas já foram ouvidas e o inquérito está em fase de conclusão.

Compartilhe esta notícia com um amigo






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *