Morre o homem que impediu a destruição da Terra em 1983

Morreu nesta segunda-feira (18), um dos maiores e mais desconhecidos heróis do planeta. Stanislav Petrov, faleceu aos 77 anos. Ele conseguiu reconhecer um erro técnico gravíssimo nos sistemas de monitoramento antiaéreo soviéticos, o que impediu que um alarme falso se transformasse em uma guerra nuclear total na década de 1980.

Petrov era coronel das forças de defesa aérea soviéticas no ano de 1983. No dia 23 de setembro, ele era o oficial responsável pelo Oko (palavra russa que significa “olho”), que era uma recém-instalada rede de satélites para alertar sobre lançamentos de mísseis nucleares. A ideia era simples: alertar os militares soviéticos sobre ataques nucleares americanos assim que as armas fossem lançadas, proporcionando tempo suficiente para reagir.

 
 


Naquela data, pouco depois da meia-noite, o Oko apontou que um único míssil havia sido disparado pelos Estados Unidos, o que por si só já gerou pânico. Petrov conta que, neste momento, ele levantou de sua cadeira e começou a dar ordens aos subordinados para que se acalmassem.

As coisas ficaram realmente sérias quando soou um segundo alarme apontando mais quatro disparos, enquanto a tela de Petrov ficava vermelha, mostrando apenas um botão para iniciar a reação.

Caso o sistema estivesse correto, as bombas atingiriam o território soviético em 30 minutos, de forma que, segundo o protocolo, ele só tinha 15 minutos para alertar o líder soviético Yuri Andropov, que estava doente, que decidiria sobre lançar outros mísseis balísticos intercontinentais como retribuição. Caso isso acontecesse, a Terceira Guerra Mundial começaria e a Terra provavelmente estaria condenada à destruição.

No entanto, suspeitando do baixo números de mísseis detectados pelo sistema soviético, Petrov se segurou na poltrona e não alertou Andropov. Desta forma, não houve retribuição ao ataque fictício, e a Terceira Guerra Mundial não aconteceu. Posteriormente, foi determinado que o alarme falso foi causado por reflexos solares em nuvens que sobrevoavam os Estados Unidos.

(*) Com informações do Olhar Digital






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *